Estratégia

Como se preparar para a busca por voz

novembro 28, 2017

busca móvel

O Google informou em 2016, que 20% de todas as buscas em dispositivos móveis foram feitas por voz. Desde então, o número de assistentes virtuais começou a crescer e hoje temos vários dispositivos domésticos habilitados para o uso por voz.

Você já ouviu falar de Alexa ou Google Home? Esses dispositivos estão ganhando cada vez mais espaço nas casas dos americanos e existe uma boa possibilidade de chegarem aqui no Brasil com força também.

É possível que a maior parte dessa expansão seja através de produtos white-label. O assistente do Google incorporado em uma TV Sony, por exemplo. Do ponto de vista do consumidor, as pessoas não vão comprar a TV por causa do Assistente do Google, mas sim porque a Sony faz excelentes televisões. O assistente de voz é uma ótima feature.

Os principais players desse jogo já foram estabelecidos. Porém, há um boom acontecendo agora na China, com dezenas de novas empresas surgindo no cenário de “assistentes virtuais inteligentes”. Enquanto a maioria não vai sobreviver, é quase certo que veremos novos dispositivos chegando no mercado no próximo ano, o que será positivo pois com isso, haverá uma redução de preços.

Existe algo impedindo a adoção de dispositivos habilitados por voz?

Estamos começando a ver o fim da relutância das pessoas em falar com seus dispositivos. Este é um fator importante para a adoção.

Outro fator importante é que os dispositivos estão começando a ficar mais precisos. Alguns já ultrapassam a taxa de 98% ou mais de precisão.

A voz como interface principal de pesquisa é uma realidade e as empresas precisam alinhar rapidamente suas estratégias para se adaptarem ao mercado de voz. 

Como isso impacta o marketing e o que podemos fazer para nos preparar para essa evolução?

Todo o investimento feito em conteúdo continua e continuará pagando dividendos em um mundo de busca por voz.

As melhores práticas para que uma marca seja relevante no cenário de “respostas faladas” ainda não foram estabelecidas, mas existem algumas boas práticas comuns que ainda serão válidas.

Aqui está uma lista do que pode ser feito, além da produção de conteúdo com alta qualidade:

  • Adote uma abordagem conversacional na produção de novos conteúdos;
  • Crie respostas detalhadas para questões comuns do seu público-alvo em relação aos seus produtos e serviços;
  • Certifique-se que seu conteúdo é amigável para os dispositivos móveis;
  • Use marcações específicas no código-fonte da página, de acordo com o tipo do seu conteúdo (Existem códigos de programação específicos para marcar cada tipo de conteúdo na web e isso ajuda os robôs indexadores a compreender melhor sobre o que está sendo apresentado).

Coisas que foram opcionais até alguns anos atrás, hoje não são mais opcionais. Ser mobile friendly é um requisito. Ser seguro tornou-se rapidamente um diferencial. A marcação do seu conteúdo não é mais uma coisa de outro mundo. Cada dia, a adoção desses itens técnicos cresce, o que significa que o jogo está mudando. Se um motor de busca sugere um protocolo vale a pena usar, vale a pena prestar atenção.

Se você quiser estar na vanguarda, você deveria comprar os principais dispositivos habilitados por voz no mercado hoje. Configure e use-os o dia todo. Nessa prática, vai descobrir novos recursos e identificar oportunidades para se alinhar com a nova jornada do consumidor.